O Direito Achado na Rede e Michael Jackson: Dá-lhe, Rená!

Disco de Michael Jackson arrecada fundos para software livre

renacannali

A morte de Michael Jackson movimentou sites de leilões na web com todo o tipo de artigos relacionados ao ídolo pop, de discos e pôsteres a supostas mechas de cabelo do astro. Enquanto muitos aproveitaram o momento para fazer dinheiro, dois jovens de Brasília decidiram tirar algo bom da onda de oportunismo – e, ao mesmo tempo, criticá-la.

Um compacto de Jackson recebeu assinaturas de gente como Peter Sunde (do portal sueco The Pirate Bay) e Jon Maddog Hall (da Linux International) e está sendo leiloado na web. Todo o dinheiro arrecadado com a venda será doado para a Fundação Software Livre e para o Partido Pirata do Brasil.
A campanha foi idealizada por Paulo Rená e Rodrigo Canalli durante o 10º Fórum Internacional do Software Livre, em Porto Alegre, e quer chamar atenção para a controvérsia jurídica em torno do The Pirate Bay, questionando o sentido do termo “pirataria”. Por isso buscaram autógrafos de pessoas centrais na luta pelo software livre e pela cultura livre, que estavam presentes no evento.

» Veja fotos do compacto assinado

»Veja o compacto no Mercado Livre

Boa sorte, Michael
Além de Sunde e Maddog, também assinaram o disco Mark Suman (Mozilla Foundation), Seth Schoen (Electronic Frontier Foundation), Elizabeth Stark (Free Culture), Jacob Appelbaum (TOR Project) e o cineasta Simon Klose.
“Isto é uma cópia”, escreveu Sunde. No canto superior esquerdo, Maddog Hall escreveu carinhosamente “Boa sorte Michael, onde quer que você esteja”.

Do Mercado Público para o Mercado Livre
A ideia da campanha “Pirateando Jackson/Michael Livre” surgiu em um fim de tarde no Mercado Público de Porto Alegre, quando os dois jovens de Brasília descansavam depois de um dia de atividades no fisl 10. “Quando li no celular a notícia de que itens ligados a Michael Jackson já custavam milhões na internet, Rodrigo anunciou: ‘vamos fazer um experimento!'”, conta Rená.
No próprio Mercado Público, compraram o compacto usado por R$ 5. No dia seguinte, compraram canetas coloridas e começaram a coletar assinaturas, registrando tudo em vídeo.
Convencer os colaboradores não foi tão fácil. Maddog Hall negou duas vezes antes de ceder à insistência dos jovens. Já Richard Stallman, da Free Software Foundation – que receberá metade do dinheiro arrecadado – não quis assinar e foi enfático ao dizer que não concorda com a iniciativa, segundo Rená.

Michael Livre
O compacto em vinil, do início da década de 80, traz quatro músicas de Michael Jackson – Thriller, Billie Jean, Beat It e Human Nature – e está em perfeito estado, segundo Rená e Canalli.
Vídeos gravados durante o fisl 10 garantem a autenticidade das assinaturas, e podem ser vistos no blog Hiperfície pelo atalho http://tiny.cc/LLy9l. O blog também traz mais informações sobre a campanha e o link para quem quiser fazer suas ofertas pelo disco.
O leilão será encerrado no dia 10 de julho, aniversário de um ano do retorno do projeto de lei dos cibercrimes (também conhecido como Lei Azeredo) do Senado para a Câmara dos Deputados. Até o fechamento desta notícia, o preço do compacto estava em R$ 32.

Redação Terra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s